sexta-feira, 13 de março de 2015

Workshops memoQ



Para quem trabalha com o memoQ ou para os que são curiosos aqui está uma sequência de eventos que se vão realizar num futuro próximo. Aos que que decidirem estar presentes, até lá!!



Dia memoQ na Universidade Nova de Lisboa (Lisboa, Portugal)
22 Abril, 2015
Um evento centrado no ensino universitário e na prática profissional

Destinatários   
Universidades envolvidas no ensino da tradução, línguas, e outros temas relacionados com a temática em questão.
Estudantes que frequentem cursos de línguas e tradução ou que tenham um particular interesse em tradução e edição
Tradutores e editores profissionais
Pessoas que sejam responsáveis por, ou que estejam interessadas em, gerir os recursos linguísticos inerentes à tradução e edição
Quando?    22 de Abril de 2015, das 8:30 às 18:00
Valor    
Grátis para estudantes de qualquer instituição de ensino superior em Portugal e para todos os membros da universidade Nova de Lisboa que providenciem, por e-mail, a sua identificação e associação a esta ou a qualquer instituição superior (pré-inscrição apenas por e-mail).
30 € para outros membros de instituições superiores (que providenciem a sua identificação de associação à instituição, digitalizada) e para residentes em Portugal (desde que façam a pré-inscrição)
50 € para todos os outros que façam a pré-inscrição ou para residentes em Portugal ou membros de instituições superiores que não tenham feito a pré-inscrição
100 € para todos os outros (não residentes em Portugal) que não tenham feito a pré-inscrição
Objetivo            
Este primeiro Dia do Utilizador memoQ é uma oportunidade para adquirir mais conhecimentos acerca desta plataforma, em contexto profissional e em ambientes educacionais, e sobre as boas práticas associadas à mesma, vivenciar novas abordagens ao uso de tecnologia complementar tais como, o reconhecimento por voz e a pseudo-tradução por máquina (MpT).
Conteúdos        
Apresentações planeadas (sujeitas a atualização)

§  Programa académico da Kilgray e as suas medidas
§   A dinâmica entre o memoQ e as universidades portuguesas e de outros países
§  O reconhecimento por voz em vários idiomas, incluindo o Português!
§  Usar o memoQ num Mac
§  Explorar o LiveDocs!
§  Recursos educativos sobre o memoQ
§  Criar e editar com o memoQ
§  Recursos do SDL Trados no memoQ e a interoperabilidade entre ambos

entre outros

Custos & Inscrições: Após o período inicial de inscrição para membros das instituições de ensino superior em Portugal, será aqui divulgada a informação relativa à inscrição dos não membros. O número total de participantes encontra-se limitado pela capacidade do local onde se vai realizar o evento. Mais detalhes acerca da programação serão adicionados em breve.

Para mais informações, entre em contacto connosco através do e-mail.



Eventos na Universidade de Évora


No dias 26 e 27 de Março irão realizar-se dois workshops na Universidade de Évora. Os workshops têm temáticas distintas mas a sua organização é idêntica, durante o período da manhã, das 11:00 às 12:00, a sala está aberta ao público e será feita uma breve abordagem do workshop que se irá realizar no período da tarde. Quem quiser participar nos eventos da tarde terá que fazer uma pré-inscrição.

No dia 26 o tema é "Criar e Editar com o memoQ" e irá realizar-se na sala 007 (anexa ao auditório) no Colégio Espirito Santo. Será feita uma abordagem ao uso do memoQ como ferramenta para criar textos e editar os mesmos num único idioma. Começará às 13:00 e terminará às 16:30, está limitado a um pequeno número de participantes e terá um custo de 10€ (para alunos da universidade) e de 30€ para outros.

No dia 27 o tema é "memoQ para Tradutores" onde serão abordados os conceitos básicos para traduzir com o memoQ, irá realizar-se na sala 110 do Colégio Espírito Santo. Começará às 13:00 e terminará às 16:30, está limitado a um pequeno número de participantes e terá um custo de 10€ (para alunos da universidade) e de 30€ para outros.

Para pré-inscrições ou questões envie e-mail para clique aqui.



CCM

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

SDL Trados Studio, "pano de fundo" numa conferência realizada na Universidade Nova de Lisboa

 
No dia 22 de Janeiro, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, teve lugar uma conferência para tradutores e estudantes de tradução, tendo como tema principal a operatividade do SDL Trados Studio.

Durante a manhã foi feita uma demonstração, por duas alunas de mestrado e respectivo professor David Hardisty, do funcionamento de um sistema de reconhecimento de voz em Português utilizando um Mac e a sua componente de reconhecimento de voz (OS X Yosemite), permitindo o uso simultâneo de uma CAT como o Trados ou o memoQ. Traduzir, ditando, é uma técnica utilizada por muitos tradutores, contudo o usufruto desta tecnologia encontra-se limitado à existência, ou não, do idioma pretendido.

Após a pausa do almoço foi tempo de continuar a falar do Trados Studio e das suas características tendo sido apresentadas várias soluções, utilizando o Trados Studio, para resolver desafios com que os tradutores se deparam constantemente. Através da funcionalidade AutoSuggest que existe no Trados desde 2009 foi feita uma contagem de palavras e posterior análise da mesma. Alguns dos recursos disponíveis em SDL OpenExchange também foram alvo de atenção por parte de Paul Filkin, que elucidou muitos dos presentes sobre a existência e respectivas funcionalidades destes recursos de acesso livre para utilizadores do Trados Studio.

No final, foi a vez de falar sobre a interoperabilidade entre diferentes sofwares. Kevin Lossner, deu a voz ao sentido de trabalhar o melhor possível com apenas uma ferramenta CAT, operando-a com agilidade de forma a receber e enviar trabalho de e para diferentes CAT's, ao mesmo tempo que o tradutor consegue manter, ou até aumentar, a sua produtividade. Foram exemplificados os pontos fortes do Trados e do memoQ e os aspectos menos positivos de ambas as ferramentas, assim como truques sobre mesmas.

Foi um dia repleto de aprendizagens onde tradutores experientes, agências de tradução e estudantes da área solucionaram dúvidas e trocaram ideias, existindo no ar uma constante atmosfera de interoperabilidade. Pelo que sei, mais actividades do mesmo âmbito surgirão num futuro próximo que serão aqui anunciadas com a devida antecedência.

CCM


terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Infix para editar PDF

Quando o cliente envia os ficheiros para traduzir em formato PDF nem sempre o tradutor tem perante si uma tarefa fácil. Estes podem conter imagens, gráficos, texto em diferentes cores, entre outras particularidades que muitas vezes não permitem um correcto funcionamento do OCR. Ao tentar importar o mesmo para a sua CAT poderá ser confrontado com muitos erros diferentes que irão dificultar, senão tornar impossível, a tarefa do tradutor.

Um programa que o poderá ajudar a editar PDFs e que permite importar os mesmos directamente para a sua ferramenta CAT é o Infix, poderão ler mais informações a até solicitar uma licença gratuita em: http://www.iceni.com/pt/.

No documento que aqui serve de exemplo, o fundo apresenta diferentes cores assim como o texto e parte deste encontra-se escrito a branco.

Depois de ter o Infix instalado no seu computador deverá abrir o mesmo e em seguida abrir o documento que pretende editar. No inicio, o Infix irá exibir uma janela que lhe permite escolher o modo em que quer trabalhar, recomendo a escolha do "Modo Profissional" por permitir um maior leque de opções.

 Com o documento aberto deverá ir a Documento > Traduzir > Exportar p/ CAT.


O Infix irá abrir uma janela que lhe permitirá importar todo o documento, algumas páginas do mesmo ou apenas uma das páginas.



A formatação pré-definida em que irá gerar um documento XML simples é a indicada para trabalhar na sua CAT, clique em OK e escolha o local onde vai guardar o XML no seu computador. Ao executar este procedimento irá surgir uma janela para indicar como pretende guardar as alterações do documento, a versão gratuita irá guardar o documento com uma marca d'água nas páginas que forem editadas com o Infix.

Com a sua ferramenta CAT aberta e com o projecto criado, ao selecionar na janela supra-citada a opção pretendida, o documento será importado para a mesma.

Ao importar para a ferramenta memoQ apenas necessitará de clicar em OK visto que os filtros estão padronizados de acordo com o pretendido. 



É só começar a trabalhar!

CCM

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

SOLISTA - o software de gestão de projetos, e não só, para serviços linguísticos. A solução que faltava aos freelancers!


Nos últimos dois anos comecei a trabalhar com uma solução de gestão para empresas de serviços linguísticos chamada OTM - Online Translation Manager da LSP.net. Este software permite organizar e gerir tudo, ou quase tudo, o que está relacionado com o projeto em si, é possível receber pedidos de clientes, enviar cotações, entregar o trabalho, ao mesmo tempo que permite organizar toda a gestão que antecede e sucede um projeto, no tempo, na informação acerca de clientes, na faturação, entre outras caraterísticas.
Admito que não é a solução mais indicada para freelancers e desconhecia alguma que o fosse, até agora.
A LSP.net decidiu criar a solução que faltava a todos os freelacers, a solução chama-se SOLISTA.

SOLISTA é um software de gestão de projetos e suas envolventes para serviços linguísticos, é um software de modelo SaaS, isto é, o fornecedor do software responsabiliza-se por toda a estrutura necessária para a disponibilização do sistema. Destina-se primordialmente a ser usado por indivíduos freelancers mas também pode ser usado com pequenas equipas de trabalho, só aqui já está uma caraterística muito interessante, mas há mais, terá um calendário que permitirá verificar prazos de entrega e disponibilidade para aceitar novos projetos tendo em conta os que estão em curso, relacionando-os com o ritmo de cada indivíduo.
Este software permite reduzir o tempo gasto em tarefas administrativas rotineiras, libertando-nos, para que possamos usar o nosso tempo e energia de forma mais proveitosa, providenciando o enquadramento legal e fiscal necessário para o desempenho da profissão.

Irá ter um interface em mais de 30 idiomas e está neste momento na reta final do seu planeamento, como tal, lanço-vos um repto para que este software possa ser lançado da forma mais completa possível. Peço que disponibilizem cerca de 5 minutos do vosso tempo e respondam ao questionário que a LSP.net colocou on-line com o intuito de prestar o melhor serviço possível. O questionário encontra-se disponível em três idiomas distintos:

Português: http://lsp.net/pt-otm-solista.html

Inglês: http://lsp.net/en-otm-solista.html

Alemão: http://de.lsp.net/de-otm-solista.html

Para além de tudo o que já descrevi este software permitirá:
- usar uma ferramenta CAT para gerar cotações e faturas;
- cotações e faturas em 34 moedas distintas (com taxas de câmbio do BCE)
- comunicação multilingue com clientes e colegas;
- transferência de dados através de servidores seguros sediados na Alemanha;
- entre outras.

CCM

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Localizar os seus recursos do memoQ


Por vezes deparamo-nos com erros que advêm de simples pormenores que descuramos. Falo, por exemplo, de quando recebemos aquela notificação electrónica (que normalmente muito nos irrita) que nos indica que existiu este ou aquele problema e como tal não é possível ao sistema realizar a ação que lhe foi pedida.
Quando os nomes dos recursos que utilizamos, ao trabalhar com o memoQ, são muito extensos podem existir coflitos com outros processos do mesmo, desde logo, com a exportação da tradução em si. Tal pode acontecer devido ao longo caminho percorrido pelos recursos, que leva a que o seu nome vá ficando cada vez mais extenso, podendo original algumas incompatibilidades. Para prevenir que tal aconteça deverá escolher qual o caminho que estes deverão percorrer.
Para tal vá a Ferramentas > Opções... > Locais.


A caixa de diálogo Locais difere ligeiramente entre algumas das versões mais antigas do memoQ e muda consideravelmente no memoQ 2013 R2, mantendo-se igual no memoQ 2014. Nas duas últimas versões encontrará três separadores: Projetos, Recursos e Pasta Temporária (que se mantém sem tradução na versão 2014 onde se pode ler "Temporary folder"). No separador projetos é possível localizar os projetos em curso e os conluídos separadamente.
 


A imagem acima mostra os caminhos padrão existentes no memoQ, ao escolher o seu, de preferência um caminho curto, pode tornar mais fácil o processo de encontrar e recuperar os seus recursos e evita erros que advêm de ficheiros com nomes muito extensos.


CCM


                                              





quinta-feira, 1 de maio de 2014

memoQ Passo a Passo

Para utilizadores ou futuros utilizadores da ferramenta de tradução memoQ fica a sugestão de uma coleção de tutoriais com dicas especiais para a configuração do ambiente de trabalho desta ferramenta de tradução, abrange a versão 5.0 e posteriores dando enfase à versão R2 do memoQ2013.

Uma obra do tradutor Kevin Lossner "memoQ in Quick Steps" traduzida para a língua portuguesa por mim! Deixo-vos com a introdução do livro "memoQ Passo a Passo":


Introdução


O livro “memoQ in Quick Steps” na sua primeira versão foi lançado em Inglês, contudo a segunda versão encontra-se traduzida noutros idiomas. Em Português o “memoQ in Quick Steps” passou a “memoQ Passo a Passo” fazendo jus ao que se pretende transmitir com a leitura deste manual, um entrosamento entre o leitor e a leitura procurando que este crie uma visão das suas necessidades e que as consiga colmatar.
Se refletirmos acerca de como usamos o pensamento apercebemo-nos que o mesmo está intimamente ligado à linguagem, não existe desenvolvimento do pensamento sem desenvolvimento da linguagem, constroem-se influenciando-se mutuamente. Por mais que convivamos diretamente com vários idiomas quando pensamos imaginamos ou criamos, esses pensamentos são na sua maioria, senão sempre, construídos no nosso idioma materno sendo esta a pertinência deste projeto, dar oportunidade ao leitor de formar o seu constructo no seu idioma nativo.
A língua portuguesa é oficial em vários países e é falada noutros tantos sendo o idioma usado por mais de 250 milhões de pessoas em todo o mundo. Seguindo esta analogia tentou encontrar-se um consenso nesta tradução, tendo em atenção a terminologia usada na mesma e visando o maior entendimento possível por parte de todos os leitores, independentemente da sua origem, cultura, estilo linguístico ou credo.
Este projeto não seria possível sem a colaboração de todos quantos me ensinaram a lutar pelos meus sonhos e naquilo em que acredito. Considero essencial agradecer a quem acreditou em mim para a tradução desta obra quando esta era apenas uma ideia, sem a sua colaboração, apoio e participação nunca teria passado de um ideal, estou muito grata Kevin.
Findo este introito e fazendo minhas as palavras de Fernando Pessoa, sob o pseudónimo de Bernardo Soares no livro Desassossego “a minha pátria é a língua portuguesa”, e crendo que a informação desenvolvida na obra vos traga conquistas prazenteiras, bem hajam!

Cátea Caleço Murta

 
Para adquirir clique aqui: memoQ Passo a Passo