quarta-feira, 5 de novembro de 2014

SOLISTA - o software de gestão de projetos, e não só, para serviços linguísticos. A solução que faltava aos freelancers!


Nos últimos dois anos comecei a trabalhar com uma solução de gestão para empresas de serviços linguísticos chamada OTM - Online Translation Manager da LSP.net. Este software permite organizar e gerir tudo, ou quase tudo, o que está relacionado com o projeto em si, é possível receber pedidos de clientes, enviar cotações, entregar o trabalho, ao mesmo tempo que permite organizar toda a gestão que antecede e sucede um projeto, no tempo, na informação acerca de clientes, na faturação, entre outras caraterísticas.
Admito que não é a solução mais indicada para freelancers e desconhecia alguma que o fosse, até agora.
A LSP.net decidiu criar a solução que faltava a todos os freelacers, a solução chama-se SOLISTA.

SOLISTA é um software de gestão de projetos e suas envolventes para serviços linguísticos, é um software de modelo SaaS, isto é, o fornecedor do software responsabiliza-se por toda a estrutura necessária para a disponibilização do sistema. Destina-se primordialmente a ser usado por indivíduos freelancers mas também pode ser usado com pequenas equipas de trabalho, só aqui já está uma caraterística muito interessante, mas há mais, terá um calendário que permitirá verificar prazos de entrega e disponibilidade para aceitar novos projetos tendo em conta os que estão em curso, relacionando-os com o ritmo de cada indivíduo.
Este software permite reduzir o tempo gasto em tarefas administrativas rotineiras, libertando-nos, para que possamos usar o nosso tempo e energia de forma mais proveitosa, providenciando o enquadramento legal e fiscal necessário para o desempenho da profissão.

Irá ter um interface em mais de 30 idiomas e está neste momento na reta final do seu planeamento, como tal, lanço-vos um repto para que este software possa ser lançado da forma mais completa possível. Peço que disponibilizem cerca de 5 minutos do vosso tempo e respondam ao questionário que a LSP.net colocou on-line com o intuito de prestar o melhor serviço possível. O questionário encontra-se disponível em três idiomas distintos:

Português: http://lsp.net/pt-otm-solista.html

Inglês: http://lsp.net/en-otm-solista.html

Alemão: http://de.lsp.net/de-otm-solista.html

Para além de tudo o que já descrevi este software permitirá:
- usar uma ferramenta CAT para gerar cotações e faturas;
- cotações e faturas em 34 moedas distintas (com taxas de câmbio do BCE)
- comunicação multilingue com clientes e colegas;
- transferência de dados através de servidores seguros sediados na Alemanha;
- entre outras.

CCM

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Localizar os seus recursos do memoQ


Por vezes deparamo-nos com erros que advêm de simples pormenores que descuramos. Falo, por exemplo, de quando recebemos aquela notificação electrónica (que normalmente muito nos irrita) que nos indica que existiu este ou aquele problema e como tal não é possível ao sistema realizar a ação que lhe foi pedida.
Quando os nomes dos recursos que utilizamos, ao trabalhar com o memoQ, são muito extensos podem existir coflitos com outros processos do mesmo, desde logo, com a exportação da tradução em si. Tal pode acontecer devido ao longo caminho percorrido pelos recursos, que leva a que o seu nome vá ficando cada vez mais extenso, podendo original algumas incompatibilidades. Para prevenir que tal aconteça deverá escolher qual o caminho que estes deverão percorrer.
Para tal vá a Ferramentas > Opções... > Locais.


A caixa de diálogo Locais difere ligeiramente entre algumas das versões mais antigas do memoQ e muda consideravelmente no memoQ 2013 R2, mantendo-se igual no memoQ 2014. Nas duas últimas versões encontrará três separadores: Projetos, Recursos e Pasta Temporária (que se mantém sem tradução na versão 2014 onde se pode ler "Temporary folder"). No separador projetos é possível localizar os projetos em curso e os conluídos separadamente.
 


A imagem acima mostra os caminhos padrão existentes no memoQ, ao escolher o seu, de preferência um caminho curto, pode tornar mais fácil o processo de encontrar e recuperar os seus recursos e evita erros que advêm de ficheiros com nomes muito extensos.


CCM


                                              





quinta-feira, 1 de maio de 2014

memoQ Passo a Passo

Para utilizadores ou futuros utilizadores da ferramenta de tradução memoQ fica a sugestão de uma coleção de tutoriais com dicas especiais para a configuração do ambiente de trabalho desta ferramenta de tradução, abrange a versão 5.0 e posteriores dando enfase à versão R2 do memoQ2013.

Uma obra do tradutor Kevin Lossner "memoQ in Quick Steps" traduzida para a língua portuguesa por mim! Deixo-vos com a introdução do livro "memoQ Passo a Passo":


Introdução


O livro “memoQ in Quick Steps” na sua primeira versão foi lançado em Inglês, contudo a segunda versão encontra-se traduzida noutros idiomas. Em Português o “memoQ in Quick Steps” passou a “memoQ Passo a Passo” fazendo jus ao que se pretende transmitir com a leitura deste manual, um entrosamento entre o leitor e a leitura procurando que este crie uma visão das suas necessidades e que as consiga colmatar.
Se refletirmos acerca de como usamos o pensamento apercebemo-nos que o mesmo está intimamente ligado à linguagem, não existe desenvolvimento do pensamento sem desenvolvimento da linguagem, constroem-se influenciando-se mutuamente. Por mais que convivamos diretamente com vários idiomas quando pensamos imaginamos ou criamos, esses pensamentos são na sua maioria, senão sempre, construídos no nosso idioma materno sendo esta a pertinência deste projeto, dar oportunidade ao leitor de formar o seu constructo no seu idioma nativo.
A língua portuguesa é oficial em vários países e é falada noutros tantos sendo o idioma usado por mais de 250 milhões de pessoas em todo o mundo. Seguindo esta analogia tentou encontrar-se um consenso nesta tradução, tendo em atenção a terminologia usada na mesma e visando o maior entendimento possível por parte de todos os leitores, independentemente da sua origem, cultura, estilo linguístico ou credo.
Este projeto não seria possível sem a colaboração de todos quantos me ensinaram a lutar pelos meus sonhos e naquilo em que acredito. Considero essencial agradecer a quem acreditou em mim para a tradução desta obra quando esta era apenas uma ideia, sem a sua colaboração, apoio e participação nunca teria passado de um ideal, estou muito grata Kevin.
Findo este introito e fazendo minhas as palavras de Fernando Pessoa, sob o pseudónimo de Bernardo Soares no livro Desassossego “a minha pátria é a língua portuguesa”, e crendo que a informação desenvolvida na obra vos traga conquistas prazenteiras, bem hajam!

Cátea Caleço Murta

 
Para adquirir clique aqui: memoQ Passo a Passo


quinta-feira, 3 de abril de 2014

Substituir objetos embutidos

Muitas traduções depois de "desmontadas" e traduzidas têm que ser "montadas" novamente. Refiro-me a muitos ficheiros que nos são entregues com objetos embutidos tais como, gráficos, imagens, tabelas... que depois de devidamente trabalhados têm que voltar ao documento final para que o mesmo seja entregue como é devido.

A forma como muitos, se não a maioria, dos tradutores/revisores e companhias de tradução o fazem pode custar-lhes horas de trabalho. E mais horas de trabalho significam menos dinheiro...
A inserção uma a uma das imagens que façam parte da tradução é um processo moroso que facilmente leva a erros. Contudo é possível substituir todas as imagens de uma só vez. 

ATENÇÃO, para que tenha sucesso é necessário percorrer passo a passo todos os procedimentos, no fim verá que compensa!

Coloque os objetos que estavam embutidos e que já foram traduzidos numa pasta com o nome "media". Este é o nome da pasta que vai substituir caso seja um documento Word, Exel ou PowerPoint, sendo estes, em boa verdade, ficheiros zip. Para podermos aceder às imagens vamos mudar a extensão do ficheiro em questão para zip. Primeiro é necessário fazer uma cópia do seu documento a imagem abaixo exemplifica o procedimento com um documento Word.

Altere a extensão da cópia do documento de "docx" para "zip".

clique na imagem para aumentar
O Windows irá abrir uma janela, como a que é mostrada abaixo, clique em Sim para que a extensão seja alterada.
clique na imagem para aumentar

Abra o o ficheiro zip com a opção Explorador do Windows.

clique na imagem para aumentar

 Em seguida, abra a pasta denominada word e dentro desta vai copiar a pasta com o nome media. Cole a pasta que copiou nos seus documentos ou noutro local à sua escolha, eu criei uma pasta para este tipo de documento a que chamei "lixo", visto que, este é um tipo de pasta que vai ser temporária depois de realizar todo o procedimento se a mantiver no seu computador é só para ocupar memória, por isso é lixo!

Abra a parta que copiou e verifique os nomes das imagens, terá que modificar os nomes das imagens que pretende da sua pasta media para que sejam iguais aos que vão ser substituídos.
Na imagem que se segue mostro como dei o nome às "minhas" imagens de acordo com as que pretendo ver substituídas. Não é obrigatório que todas as imagens tenham que ser alteradas mas as que tiverem o mesmo nome sê-lo-ão e no seu devido local. No exemplo que se segue apenas substituí quatro das imagens existentes no documento de origem.

clique na imagem para aumentar

Com as alterações dos nomes feita, copie a pasta que vai substituir a do documento de origem, abra a pasta word do ficheiro zip e cole a "sua" pasta media. A existente será automaticamente substituída por a que colou e consequentemente as imagens também.

Feche todas as pastas e faça o processo inverso com nome da extensão, mude de "zip" para "docx". Abra o documento e verifique que os objetos embutidos foram substituídos pelos que foram por si definidos. Aqui ficam as minhas alterações, como podem verificar apenas foram substituídas as imagens escolhidas e estão no local certo!


clique na imagem para aumentar

CCM

sexta-feira, 14 de março de 2014

Listas especiais do memoQ

As diferentes listas que podem ser criadas no memoQ fazem parte dos seus recursos secundários e podem ser definidos os padrões para as mesmas em Ferramentas>Opções>Recursos padrão>Ícone correspondente.

São-lhes atribuídas diferentes caraterísticas e têm funções distintas mas todas partilham o mesmo conceito, auxiliar o tradutor no correto desenvolvimento do seu trabalho.

Criei uma lista de Correção automática devido ao velho hábito de escrever de acordo com antigas regras ortográficas, aquelas com que aprendi a escrever e a ler e com as quais compreendo a razão da formação das palavras, contrariamente às atuais. Em 2012 estas regras foram alteradas por um Novo Acordo Ortográfico com o qual não concordo por inúmeras razões, mas essa seria uma conversa para um post muito extenso e que me iria desviar do foco desta conversa! Ora, já diz o ditado "burro velho não aprende línguas" o que não é de todo verdade, mas é certo que a ajuda do memoQ neste caso tem sido preciosa.

Clique na imagem para aumentar


As listas podem ser criadas e atribuídas ao idiomas de destino. As listas de Correção automática com linguagem neutra podem ser atribuídas a qualquer idioma sendo esta opção muito útil para criar atalhos para nomes de companhias muito extensos, assim o tradutor já não tem que escrever o nome completo da companhia mas apenas, por exemplo, a abreviatura que criou para o nome da mesma e automaticamente o memoQ irá inserir o nome completo correspondente à abreviatura digitada.

Com a lista criada e selecionada, para inserir os termos, basta ir a Editar.

Clique na imagem para aumentar


Devo confessar, que este procedimento de cada vez que quero inserir um termo ter que ir à janela Editar da lista de Correção automática para escrever, palavra a palavra, de acordo com as novas regras ortográficas, começou a dar comigo em doida. Isto porque cada vez que digitava uma palavra que ainda não estava na respetiva lista, o memoQ acusava a mesma como erro. Estava a achar confuso porque, em cada segmento, os meus olhos iam constantemente ter com a ou as palavras que estavam com um sublinhado ondulado a vermelho.


Assim criei uma nova lista especial, uma Lista de Termos ignorados. Estas listas servem para que o memoQ ignore determinado termo que ele considera que não está escrito corretamente. Neste caso criei uma apenas para as novas regras ortográficas, só para meu belo conforto! Porque com a criação desta lista de cada vez que o memoQ deteta uma palavra, que considera não estar escrita corretamente, devido à sua formatação padrão estar configurada para o idioma português com as antigas regras ortográficas, eu consigo adicionar o termo à lista de termos ignorados sem sair da janela de tradução. Para isso seleciono o termo que quero adicionar e com o cursor em cima da palavra clico com o botão do lado do direito do rato em Adicionar. Este termo passa automaticamente para a lista de termos ignorados e na próxima vez que o escrever já não estará assinalado como erro ortográfico. 

Clique na imagem para aumentar




Também é possível adicionar ou excluir vários termos de uma só vez a esta lista, para tal, é necessário  selecionar a mesma e escolher Editar e nesta janela poderá adicionar quantos termos quiser. 

Clique na imagem para aumentar



CCM




quarta-feira, 12 de março de 2014

Trabalhar com dois documentos Word lado a lado

Gosto de rever as minhas traduções fora do ambiente das ferramentas CAT quando o tipo de documentos assim mo permite. A dica que passo a explicar talvez até tenha mais utilidade para quem não use qualquer tipo de ferramentas, eu uso este procedimento com regularidade.
Nem sempre trabalho com dois ecrãs e mesmo quando trabalho reconheço que é muito mais fácil analisar dois documentos Word, por exemplo, se ambos estiverem lado a lado no mesmo ecrã. Para que tal aconteça tenha abertos no seu computador os dois documentos que pretende analisar, tenha o cursor num deles e pressione a tecla Iniciar do seu teclado









e ao mesmo tempo use as teclas de direção









para posicionar a imagem onde pretende, à direita ou esquerda do ecrã. Em seguida, execute o mesmo procedimento para posicionar o outro documento na lateral oposta do ecrã.






Assim pode acompanhar com maior facilidade o seu trabalho, compará-lo com versões anteriores, corrigir o mesmo, etc.

CCM


quinta-feira, 6 de março de 2014

Pesquisa na Web com o memoQ

Como qualquer tradutor eu também recorro a dicionários por vezes técnicos, especializados em determinada temática, mas também generalistas. Eu particularmente gosto muito de manusear os dicionários em papel, ainda pertenço à geração que foi ensinada em casa e na escola a pesquisar em dicionários físicos (se me faço entender!) e em que foi fomentado o gosto pela aquisição de vocabulário tantas vezes transmitidos pelo uso correto dos dicionários como pelo reconhecimento no olhar daqueles que nos ensinaram.
Mas os tempos mudam e a adaptação torna-se perentória e, certamente como acontece a muitos de vós, dou por mim a utilizar os dicionário existentes na Internet.
Como já referi em mensagens anteriores sou utilizadora do memoQ e desde que comecei a utilizar esta ferramenta também utilizo a funcionalidade que permite pesquisar em dicionários on-line. Digo desde que a utilizo porque em versões anteriores esta funcionalidade não existia. Para aceder à mesma vá a Ferramentas > Opções > (Ícone) Busca na Web.

Para expandir clique na imagem

Como padrão não existe nenhum recurso que tenha como idioma de destino o Português mas é possível criar o nosso conjunto de dicionários para utilizar na pesquisa. Basta clicar em Criar novo.

Para expandir clique na imagem

Em seguida será necessário Editar estas configurações de pesquisa, nesta janela deve inserir o URL do site onde pesquisou. Para tal, abra num outro separador o site do dicionário on-line pesquise um termo à sua escolha, copie o URL e cole o mesmo no lugar indicado na janela de edição.

Para expandir clique na imagem


Siga as instruções dadas nesta janela, isto é, deve apagar no URL a palavra que pesquisou e substituir a mesma por { } como está indicado na imagem abaixo. Deve testar se o URL funciona corretamente depois de efetuar a alteração, por defeito a palavra a pesquisar que aparece é sempre "linear regression" pode ser substituída por a que entender e clique em Testar.

Para expandir clique na imagem


É possível inserir quantos dicionários pretender para referência mas é recomendável não usar mais do que cinco ao mesmo tempo, apenas para não tornar o sistema lento. A pesquisa nos dicionários aparece numa janela que permite a sua expansão para outro monitor facilitando, em muito, o trabalho do tradutor quando realiza este tipo de pesquisa. Para abrir esta janela prima CTRL + F3.

Para expandir clique na imagem
CCM

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Regras de tradução automática em português para executar uma GQ

Com um projeto em mãos que continha um sem número de números, lamento o pleonasmo, encontrei-me perante a situação de ter que garantir que não me tinha enganado na formatação destes. Como trabalho com o memoQ decidi fazer uma Garantia de qualidade para esta situação específica. O memoQ tem um conjunto de regras de tradução automática para aceder às mesmas vá a Ferramentas>Consola de Recursos>(ícone) Regras de tradução automática. Podem verificar que em cada conjunto de regras apenas se encontra especificado um idioma, o correspondente ao idioma de destino da tradução, não existindo em português.
Lembrei-me que nos tempos de escola secundária algum professor (bem haja para ele!) fez uma alusão ao francês como referência das regras usadas para a escrita de números cardinais em português.
Decidi fazer um teste com o conjunto de regras de tradução automática para o francês como idioma de destino.
Exportei o conjunto de regras e alterei o nome das mesmas para Português, importei-as com a opção Importar novo.

Em seguida criei um documento em Word com números diversos e sinais gráficos diferentes dos usados em português. Importei o mesmo para um novo projeto, traduzi para português e executei uma GQ com as novas regras importadas. Resultou!

 
Aquando da execução da GQ para que só sejam apresentados os erros que pretendemos, caso existam, antes é necessário aceder à janela da sua edição em Ferramentas>Consola de recursos>(ícone) Configurações da GQ e clicar em Editar. Na janela para editar as configurações da GQ no separador Números não devem estar selecionadas as opções de verificação disponíveis. 

CCM

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Uma dica para "bloguers" e não só

Um amigo observou-me quando estava a escrever um texto no Microsoft Word. Ao saber que o mesmo seria para publicar aqui no blogue alertou-me para o facto do Word acrescentar inúmeras tags ao texto e incitou-me a fazer a experiência; escrever no word, fazer copiar/colar para o blogue e abrir o mesmo em HTML.
Quase caí para o lado! Em baixo está a imagem deste texto escrito no Word e depois copiado para aqui.


A confusão existente no formato HTML torna impossível, ou quase, a inserção de vídeos ou imagens no meio de tanta tag. Nada como escrever diretamente aqui até porque é possível guardar vários rascunhos que apenas serão publicados quando e se assim entender.
A diferença é percetível...



Se repararem nesta segunda imagem o texto em HTML tornou-se num texto de pequenas dimensões comparado com o primeiro, onde é discernível até para quem não está habituado a este tipo de formatação onde estão colocadas as imagens e as suas respetivas tags, e a única diferença foi na escolha da fonte para a sua redação. Acrescento mais uma dica, se ao colocarem um vídeo, imagem ou foto e o mesmo não ficar centrado basta escrever, em HTML, a seguinte tag antes do que pretende embutir <center>, e no final </center> e o objeto ficará centrado com o texto.

CCM

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

"Guia do tradutor: melhores práticas" um livro de Fabio M. Said

Este foi um dos livros que li quando iniciei este caminho. 
Sendo que a informação disponível em português é diminuta o lançamento deste livro em 2013 pelas mãos do autor Fabio Said, também ele um tradutor, preencheu um pouco essa lacuna.
Podemos encontrar a vida real de um tradutor contextualizada na gestão necessária que este tem de fazer para com o seu tempo, produtividade, carreira, férias e até a organização do seu orçamento familiar, porque um tradutor freelancer tem que gerir tudo isto e muito mais de uma forma cuidada se aspira o sucesso.
As questões técnicas não são descuradas, o autor faz referência aos orçamentos, à contagem de texto e às diferenças existentes entre vários países relativamente a esta questão, alerta para os vários tipos de tradução, técnicas, literárias, entre outras, e o tempo que o tradutor despende em pesquisas que também deve fazer parte do orçamentado. A importância da terminologia e os diferentes tipos de dicionários com as suas várias utilidades, a construção destes pelo próprio tradutor ao longo da sua carreira profissional são temas expostos, elucidando o leitor acerca da utilidade e importância dos mesmos, assim como, também são descritas a tradução, correção e qualidade da mesma e a organização dos arquivos.
As ferramentas de tradução aparecem especificadas e são apontadas as diferenças entre as mais utilizadas pelos tradutores, os preços e o seu desempenho. No final estão compiladas algumas informações de muita utilidade para o tradutor ou aspirante a tradutor, o autor recomenda bibliografia, sites de entidades profissionais de tradutores, blogues de tradução, grupos de discussão sobre tradutores e ferramentas CAT.
Todo o texto faz uma alusão constante às boas práticas e aos procedimentos corretos da profissão, visando otimizar o trabalho do tradutor, rentabilizando tempo e incrementando a qualidade, logo práticas que pretendem aumentar o lucro do tradutor. A forma como tudo é retratado, nem sequer os medos e angústias do tradutor são ignorados, torna-o num excelente guia que elucida aqueles que se pretendem lançar nos braços desta profissão.

CCM

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Curso na plataforma Moodle

Durante a minha formação académica trabalhei com a plataforma Moodle mas sempre da perspetiva do aluno. Na primavera passada comecei a descobrir "outra" plataforma Moodle, quando o aluno passa a professor, colecionei experiências e a cada conquista pessoal, no caminho para compreender e saber trabalhar com as suas múltiplas aplicabilidades, mais era conquistada pela surpresa do seu desempenho. Permite construir material com conteúdos que podem ser disponibilizados em diferentes formatos e acima de tudo, permite uma interação com o aluno mesmo em formato e-learning.
Deixo-vos o acesso a um curso grátis que desenvolvi na plataforma Moodle, "memoQ para Principiantes" foi criado para a exploração e aquisição pessoal de conhecimentos acerca do funcionamento da plataforma em questão. Clique no link abaixo:

Curso Moodle "memoQ para Principiantes"

Este é o "primogénito" de outros cursos que estão a ser desenvolvidos abarcando assuntos mais complexos que os que são expostos, respeitando o mesmo tipo de desenho mas mais completos em termos estruturais e de apoio ao aluno.

CCM

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Apresentação ao memoQ

Por força das circunstâncias foi-me dada a conhecer uma ferramenta de trabalho usada por vários tradutores, o memoQ. Quis o destino que o assunto me fosse totalmente desconhecido.
Sentindo-me totalmente leiga na matéria fiz uma pesquisa na net, pretendia adquir noções básicas que me permitissem compreender como trabalhar com o memoQ. Se fossem apresentadas de forma sucinta perfeito, se fossem na minha língua materna melhor ainda!
Comecei por visitar o site da Kilgray Translation Technologies, aqui a informação encontra-se distribuída na sua maioria por dois grandes idiomas o inglês e o alemão, em português encontram-se disponíveis dois recursos escritos em português brasileiro um Guia de instalação e ativação e um Guia de inicio rápido com 38 páginas, achei a informação exaustiva para quem, como o nome indica, pretende começar e de forma rápida. A informação contida neste guia é toda ela importante contudo, considero que não existe uma estrutura que permita ao leitor, leigo no assunto, perceber o que é realmente importante saber de início, tendo como objetivo conseguir trabalhar um documento e entregar o mesmo depois de traduzido.
Em vídeo encontrei um que partilho convosco,
apesar de ser em português reconheço que senti alguma dificuldade em compreender o que o era dito, talvez por a qualidade de som e imagem não ser das melhores. Apesar de as explicações serem dadas em português o interface do memoQ encontra-se em inglês. Demasiados pormenores são apresentados de forma prematura, fiquei confusa quando assisti, reconheço que todo o conteúdo do vídeo é importante para o tradutor no entanto, considero que se forem apresentados mais tarde, depois de adquiridos conhecimentos básico, farão mais sentido para este, podendo assimilar a informação e contextualizá-la com a sua realidade potenciando as suas aprendizagens. 
Como processo de aprendizagem e visando colmatar a falta de recursos resolvi criar uns vídeos que partilho convosco. Estes vídeos fazem parte dos primórdios do meu "mundo memoQ" aprendi, questionei, reaprendi e depois tentei transmitir o que considero serem os conhecimentos essenciais para conseguir dar inicio a um trabalho de tradução, realizá-lo e entregar o mesmo ao cliente. Na lista de reprodução que se segue os vídeos contêm legendas em português, lamento mas as mesmas ainda se encontram escritas segundo as regras do antigo acordo ortográfico porque os vídeos em questão, como referido anteriormente, fizeram parte do meu processo inicial de aprendizagem e construção de conceitos sobre o tema.

CCM


Plataforma Aegisub para legendar

Um dos meus primeiros trabalhos que foi mais uma aquisição de conhecimentos e só depois de várias aprendizagens se pôde considerar um verdadeiro trabalho, consistiu na legendagem de pequenos filmes acerca de como trabalhar com ferramentas CAT (Computer-Aided Translation), em português Tradução Assistida por Computador, as ferramentas CAT será um tema a abordar num futuro próximo.
As legendas foram feitas na plataforma Aegisub, Advanced Subtitle Editor que permite criar e modificar legendas. Esta plataforma tem um interface em português que considerei completo, organizado e de fácil utilização.
Clique na imagem para aumentar.
São várias as funcionalidades disponíveis, eu não experimentei todas, mas posso alertar para o facto de a funcionalidade assinalada a verde na imagem abaixo, que permite ajustar o tempo de duração da frame, requer alguma atenção.
Clique na imagem para aumentar.
Quando tentar apagar um número para o substituir por o desejado este teima em não apagar. Contudo, ao escrever o número pretendido irá verificar que o antigo é substituído pelo que está a teclar.
Se não tivermos a sorte de alguém nos explicar este pequeno truque antes de descobrirmos como funciona, olhamos para o relógio e vemos o tempo a passar e tentamos, e tentamos de outra forma, e quando já estamos a desesperar... achamos a solução, isto se não arrancarmos todos os cabelos antes!

CCM

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Como tudo começou...



A vida dá muitas voltas, faz precisamente hoje um ano que a minha vida profissional começou a desbravar um caminho prazenteiro, por vezes sinuoso mas que me tem permitido uma escalada onde desenvolvo conhecimentos e competências que nunca antes tinham estado nos meus planos.
Comecei a minha vida profissional na área da minha formação académica quando ainda frequentava o penúltimo ano da universidade. Comecei por dar aulas em cursos de formação profissional nos módulos do universo da psicologia. Sim, eu tenho uma formação académica em Psicóloga Educacional, trabalhei na área cerca de dez anos, oito deles sempre ligada à formação de adultos desenvolvendo, ao mesmo tempo, outro tipo de trabalho com outros grupos populacionais. Mas tudo tem um fim…
E com esse fim comecei uma nova jornada. Agarrei a oportunidade que me foi dada “com unhas e dentes”, como se diz entre amigos em Portugal! Neste momento trabalho com um tradutor que me tem dado a conhecer um mundo novo, já fiz legendas de vídeos, traduções, desenvolvi vídeos exemplificativos de procedimentos com ferramentas CAT e pequenos cursos e-learning acerca de como trabalhar com estas ferramentas.
Constatei ao longo deste ano, que a informação acerca do tema Tradução na língua portuguesa é pouco representativa e a que existe por vezes muito complexa. É com base neste ano de experiências passadas e no continuar destas que resolvi fazer este blogue para partilhar as minhas experiências, dificuldades, aprendizagens e opiniões, tendo no pensamento aqueles que como eu tiveram que dar uma volta à sua vida e se sentem perdidos, como tantas vezes me senti e ainda sinto, sem a partilha da informação tão necessária acerca do tema.

CCM