sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Regras de tradução automática em português para executar uma GQ

Com um projeto em mãos que continha um sem número de números, lamento o pleonasmo, encontrei-me perante a situação de ter que garantir que não me tinha enganado na formatação destes. Como trabalho com o memoQ decidi fazer uma Garantia de qualidade para esta situação específica. O memoQ tem um conjunto de regras de tradução automática para aceder às mesmas vá a Ferramentas>Consola de Recursos>(ícone) Regras de tradução automática. Podem verificar que em cada conjunto de regras apenas se encontra especificado um idioma, o correspondente ao idioma de destino da tradução, não existindo em português.
Lembrei-me que nos tempos de escola secundária algum professor (bem haja para ele!) fez uma alusão ao francês como referência das regras usadas para a escrita de números cardinais em português.
Decidi fazer um teste com o conjunto de regras de tradução automática para o francês como idioma de destino.
Exportei o conjunto de regras e alterei o nome das mesmas para Português, importei-as com a opção Importar novo.

Em seguida criei um documento em Word com números diversos e sinais gráficos diferentes dos usados em português. Importei o mesmo para um novo projeto, traduzi para português e executei uma GQ com as novas regras importadas. Resultou!

 
Aquando da execução da GQ para que só sejam apresentados os erros que pretendemos, caso existam, antes é necessário aceder à janela da sua edição em Ferramentas>Consola de recursos>(ícone) Configurações da GQ e clicar em Editar. Na janela para editar as configurações da GQ no separador Números não devem estar selecionadas as opções de verificação disponíveis. 

CCM

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Uma dica para "bloguers" e não só

Um amigo observou-me quando estava a escrever um texto no Microsoft Word. Ao saber que o mesmo seria para publicar aqui no blogue alertou-me para o facto do Word acrescentar inúmeras tags ao texto e incitou-me a fazer a experiência; escrever no word, fazer copiar/colar para o blogue e abrir o mesmo em HTML.
Quase caí para o lado! Em baixo está a imagem deste texto escrito no Word e depois copiado para aqui.


A confusão existente no formato HTML torna impossível, ou quase, a inserção de vídeos ou imagens no meio de tanta tag. Nada como escrever diretamente aqui até porque é possível guardar vários rascunhos que apenas serão publicados quando e se assim entender.
A diferença é percetível...



Se repararem nesta segunda imagem o texto em HTML tornou-se num texto de pequenas dimensões comparado com o primeiro, onde é discernível até para quem não está habituado a este tipo de formatação onde estão colocadas as imagens e as suas respetivas tags, e a única diferença foi na escolha da fonte para a sua redação. Acrescento mais uma dica, se ao colocarem um vídeo, imagem ou foto e o mesmo não ficar centrado basta escrever, em HTML, a seguinte tag antes do que pretende embutir <center>, e no final </center> e o objeto ficará centrado com o texto.

CCM

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

"Guia do tradutor: melhores práticas" um livro de Fabio M. Said

Este foi um dos livros que li quando iniciei este caminho. 
Sendo que a informação disponível em português é diminuta o lançamento deste livro em 2013 pelas mãos do autor Fabio Said, também ele um tradutor, preencheu um pouco essa lacuna.
Podemos encontrar a vida real de um tradutor contextualizada na gestão necessária que este tem de fazer para com o seu tempo, produtividade, carreira, férias e até a organização do seu orçamento familiar, porque um tradutor freelancer tem que gerir tudo isto e muito mais de uma forma cuidada se aspira o sucesso.
As questões técnicas não são descuradas, o autor faz referência aos orçamentos, à contagem de texto e às diferenças existentes entre vários países relativamente a esta questão, alerta para os vários tipos de tradução, técnicas, literárias, entre outras, e o tempo que o tradutor despende em pesquisas que também deve fazer parte do orçamentado. A importância da terminologia e os diferentes tipos de dicionários com as suas várias utilidades, a construção destes pelo próprio tradutor ao longo da sua carreira profissional são temas expostos, elucidando o leitor acerca da utilidade e importância dos mesmos, assim como, também são descritas a tradução, correção e qualidade da mesma e a organização dos arquivos.
As ferramentas de tradução aparecem especificadas e são apontadas as diferenças entre as mais utilizadas pelos tradutores, os preços e o seu desempenho. No final estão compiladas algumas informações de muita utilidade para o tradutor ou aspirante a tradutor, o autor recomenda bibliografia, sites de entidades profissionais de tradutores, blogues de tradução, grupos de discussão sobre tradutores e ferramentas CAT.
Todo o texto faz uma alusão constante às boas práticas e aos procedimentos corretos da profissão, visando otimizar o trabalho do tradutor, rentabilizando tempo e incrementando a qualidade, logo práticas que pretendem aumentar o lucro do tradutor. A forma como tudo é retratado, nem sequer os medos e angústias do tradutor são ignorados, torna-o num excelente guia que elucida aqueles que se pretendem lançar nos braços desta profissão.

CCM

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Curso na plataforma Moodle

Durante a minha formação académica trabalhei com a plataforma Moodle mas sempre da perspetiva do aluno. Na primavera passada comecei a descobrir "outra" plataforma Moodle, quando o aluno passa a professor, colecionei experiências e a cada conquista pessoal, no caminho para compreender e saber trabalhar com as suas múltiplas aplicabilidades, mais era conquistada pela surpresa do seu desempenho. Permite construir material com conteúdos que podem ser disponibilizados em diferentes formatos e acima de tudo, permite uma interação com o aluno mesmo em formato e-learning.
Deixo-vos o acesso a um curso grátis que desenvolvi na plataforma Moodle, "memoQ para Principiantes" foi criado para a exploração e aquisição pessoal de conhecimentos acerca do funcionamento da plataforma em questão. Clique no link abaixo:

Curso Moodle "memoQ para Principiantes"

Este é o "primogénito" de outros cursos que estão a ser desenvolvidos abarcando assuntos mais complexos que os que são expostos, respeitando o mesmo tipo de desenho mas mais completos em termos estruturais e de apoio ao aluno.

CCM

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Apresentação ao memoQ

Por força das circunstâncias foi-me dada a conhecer uma ferramenta de trabalho usada por vários tradutores, o memoQ. Quis o destino que o assunto me fosse totalmente desconhecido.
Sentindo-me totalmente leiga na matéria fiz uma pesquisa na net, pretendia adquir noções básicas que me permitissem compreender como trabalhar com o memoQ. Se fossem apresentadas de forma sucinta perfeito, se fossem na minha língua materna melhor ainda!
Comecei por visitar o site da Kilgray Translation Technologies, aqui a informação encontra-se distribuída na sua maioria por dois grandes idiomas o inglês e o alemão, em português encontram-se disponíveis dois recursos escritos em português brasileiro um Guia de instalação e ativação e um Guia de inicio rápido com 38 páginas, achei a informação exaustiva para quem, como o nome indica, pretende começar e de forma rápida. A informação contida neste guia é toda ela importante contudo, considero que não existe uma estrutura que permita ao leitor, leigo no assunto, perceber o que é realmente importante saber de início, tendo como objetivo conseguir trabalhar um documento e entregar o mesmo depois de traduzido.
Em vídeo encontrei um que partilho convosco,
apesar de ser em português reconheço que senti alguma dificuldade em compreender o que o era dito, talvez por a qualidade de som e imagem não ser das melhores. Apesar de as explicações serem dadas em português o interface do memoQ encontra-se em inglês. Demasiados pormenores são apresentados de forma prematura, fiquei confusa quando assisti, reconheço que todo o conteúdo do vídeo é importante para o tradutor no entanto, considero que se forem apresentados mais tarde, depois de adquiridos conhecimentos básico, farão mais sentido para este, podendo assimilar a informação e contextualizá-la com a sua realidade potenciando as suas aprendizagens. 
Como processo de aprendizagem e visando colmatar a falta de recursos resolvi criar uns vídeos que partilho convosco. Estes vídeos fazem parte dos primórdios do meu "mundo memoQ" aprendi, questionei, reaprendi e depois tentei transmitir o que considero serem os conhecimentos essenciais para conseguir dar inicio a um trabalho de tradução, realizá-lo e entregar o mesmo ao cliente. Na lista de reprodução que se segue os vídeos contêm legendas em português, lamento mas as mesmas ainda se encontram escritas segundo as regras do antigo acordo ortográfico porque os vídeos em questão, como referido anteriormente, fizeram parte do meu processo inicial de aprendizagem e construção de conceitos sobre o tema.

CCM


Plataforma Aegisub para legendar

Um dos meus primeiros trabalhos que foi mais uma aquisição de conhecimentos e só depois de várias aprendizagens se pôde considerar um verdadeiro trabalho, consistiu na legendagem de pequenos filmes acerca de como trabalhar com ferramentas CAT (Computer-Aided Translation), em português Tradução Assistida por Computador, as ferramentas CAT será um tema a abordar num futuro próximo.
As legendas foram feitas na plataforma Aegisub, Advanced Subtitle Editor que permite criar e modificar legendas. Esta plataforma tem um interface em português que considerei completo, organizado e de fácil utilização.
Clique na imagem para aumentar.
São várias as funcionalidades disponíveis, eu não experimentei todas, mas posso alertar para o facto de a funcionalidade assinalada a verde na imagem abaixo, que permite ajustar o tempo de duração da frame, requer alguma atenção.
Clique na imagem para aumentar.
Quando tentar apagar um número para o substituir por o desejado este teima em não apagar. Contudo, ao escrever o número pretendido irá verificar que o antigo é substituído pelo que está a teclar.
Se não tivermos a sorte de alguém nos explicar este pequeno truque antes de descobrirmos como funciona, olhamos para o relógio e vemos o tempo a passar e tentamos, e tentamos de outra forma, e quando já estamos a desesperar... achamos a solução, isto se não arrancarmos todos os cabelos antes!

CCM

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Como tudo começou...



A vida dá muitas voltas, faz precisamente hoje um ano que a minha vida profissional começou a desbravar um caminho prazenteiro, por vezes sinuoso mas que me tem permitido uma escalada onde desenvolvo conhecimentos e competências que nunca antes tinham estado nos meus planos.
Comecei a minha vida profissional na área da minha formação académica quando ainda frequentava o penúltimo ano da universidade. Comecei por dar aulas em cursos de formação profissional nos módulos do universo da psicologia. Sim, eu tenho uma formação académica em Psicóloga Educacional, trabalhei na área cerca de dez anos, oito deles sempre ligada à formação de adultos desenvolvendo, ao mesmo tempo, outro tipo de trabalho com outros grupos populacionais. Mas tudo tem um fim…
E com esse fim comecei uma nova jornada. Agarrei a oportunidade que me foi dada “com unhas e dentes”, como se diz entre amigos em Portugal! Neste momento trabalho com um tradutor que me tem dado a conhecer um mundo novo, já fiz legendas de vídeos, traduções, desenvolvi vídeos exemplificativos de procedimentos com ferramentas CAT e pequenos cursos e-learning acerca de como trabalhar com estas ferramentas.
Constatei ao longo deste ano, que a informação acerca do tema Tradução na língua portuguesa é pouco representativa e a que existe por vezes muito complexa. É com base neste ano de experiências passadas e no continuar destas que resolvi fazer este blogue para partilhar as minhas experiências, dificuldades, aprendizagens e opiniões, tendo no pensamento aqueles que como eu tiveram que dar uma volta à sua vida e se sentem perdidos, como tantas vezes me senti e ainda sinto, sem a partilha da informação tão necessária acerca do tema.

CCM